Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

socieadeperfeita


Sábado, 21.04.18

Cravos

Cravos vermelhos floriram

Nos tapa-chamas das espingardas

Desmoronaram uma ditadura

Por medo e mortes sustentada

Por todo o Mundo condenada

Em todos os Continentes odiada

No Tarrafal personificada

Mas, Abril prometeu a todo o Império

Cravos vermelhos fazer distribuir

Em nenhum outro momento

Houve tão grande grito de liberdade

Propagado pelo vento

Foi doloroso o desmoronamento

Tantos séculos desfeitos num momento

Com tantos laços atados pelo sangrento

Com a força das armas como cimento

As mesmas armas, que libertaram um grito de entendimento

Num muito, muito tardio momento

Em que esteve por um fio o êxito do movimento

Um só disparo poderia ter tornado

Um glorioso dia num banho sangrento

Para todos os que contribuíram para que visse a liberdade

O meu maior agradecimento.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 12:12

Domingo, 19.06.16

Jo Cox

Jo Cox

 

Primeiro a vida!

A única coisa que temos

Todos nascemos livres e iguais

Sem muros nem quintais

Todos somos animais

Nem todos racionais

Senão, não nos sentiríamos desiguais!

Só alguns conseguem compreender que somos todos iguais!

Ao longo dos séculos, grande tem sido a luta

Para que os que se julgam superiores

Admitam que somos todos inferiores

Senão, não haveriam tantas lutas, tantas mortes, tantas dores !

 

Só em Dezembro de 1948, em Paris, 48 Estados então representados nas Nações Unidas , aprovaram a Declaração Universal de Direitos Humanos, nenhum votou contra, 40 votaram a favor, oito abstiveram-se: os seis países comunistas, a África do Sul e a Arábia Saudita.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 22:02

Domingo, 24.04.16

25 de Abril de 2016

Vinte e cinco de Abril de 2016

Este ano vais florir

Sob a bandeira de um Governo de Esquerda

Mais sensível aos dramas socias, do que aos financeiros

Gente Lusa, agarrai com pujança!

Esta grande mudança

Mostrando, que com trabalho e muito tino

Podeis, de novo, espantar o Mundo

Porque, quem fez uma revolução

Com cravos vermelhos e beijos

Tem sabedoria para afirmar:

Não é fechando a fronteira

Que se acaba com a asneira

Ninguém pediu para nascer aqui ou acolá!

Trabalhemos com afinco

Homens e mulheres

Lado a lado

Para construirmos

Um Mundo melhor

Mais feliz!

Sem ódios nem preconceitos

Estamos todos, à Natureza, sujeitos

“ Fazer bem, sem olhar a quem”

Deve ser a nossa Bandeira.

 

José Silva Costa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 22:31


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2018

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Posts mais comentados