Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


2 Governos!

por cheia, em 25.04.24

2 Governos!

25 de abril de 2024

50 Anos!

Corrupção!

Foram precisos 50 anos de democracia, para que a corrupção provocasse a interrupção de duas legislaturas, fazendo com que 2 Governos caíssem: O Governo da República e o Governo da Região Autónoma da Madeira

Cada vez que uma legislatura não é cumprida, o país sofre graves prejuízos. Mas, estas são, ainda, mais graves, porque temos um PRR para executar, cujo prazo termina a 31/12/2026

Este PRR tem contrapartidas, que têm de ser aprovadas no Parlamento. Como, com eleições, certas leis não são populares, não foram aprovadas, o que faz com que tenhamos 713 milhões de euros, parados em Bruxelas

Assim, enquanto os nossos parceiros se preparam, para o futuro, nós marcamos passo: é o nosso fado

Durante todos estes anos, os políticos tentaram esconder a corrupção, sempre que são confrontados com irregularidades, dizem que estão de consciência tranquila.  

Menac foi “desenhado para não funcionar”

Em declarações à Antena 1, João Paulo Batalha, da Associação Cívica Transparência e Integridade, diz que a culpa é da própria lei que criou o mecanismo e que foi desenhada para não funcionar.

“A inoperância do Mecanismo Nacional Anticorrupção foi desenha na própria lei que o criou. Esta obrigação de ter de recrutar noutras áreas da administração pública – para além de levantar este problema de os órgãos onde as pessoas estão poderem não as deixar sair – levanta outro problema que é saber se na administração pública há pessoas ‘apetrechadas’ nestas áreas – e na maior parte dos casos não temos”, aponta.

João Paulo Batalha acusou o poder político de nunca ter estado interessado em combater a verdadeiramente corrupção, tendo criado o Menac, apenas, para mostrar serviço.

Não é um defeito, é o feitio do organismo, foi assim que ele foi desenhado e responde a uma prioridade política que é a de demonstrar serviço, criando novos organismos, novas leis, mas depois não apetrechando minimamente as instituições que ficam responsáveis por fazer cumprir essas leis”, teceu. (ZAP)

 

 

Para responder aos que nos querem enganar com as escolhas, numa sondagem, sobre os atrasos nas cirurgias, oitenta por cento responderam que preferem esperar para serem operados no Serviço Nacional de Saúde, em vez de utilizarem os cheques, para irem aos privados

Não precisamos de baixa de impostos, cujo os valores, por serem tão pequenos, não aquecem nem arrefecem, o que precisamos é de melhores ordenados e pensões, de serviços públicos, eficientes, para todos.

Os Liberais querem baixar os impostos, para acabarem com o Estado Social, previligiando o individualismo, em vez da solidariedade, reduzir o investimento nos serviços públicos, para entregar o melhor negócio da  atualidade: a saúde, aos privados, e isso fez com que Rui Rocha não tivesse chegado a acordo com Montenegro.  

Viva Abril!

José Silva Costa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:50

...

por cheia, em 25.04.21

25, de Abril

Madrugada determinada, há muito sonhada, que mudou o Mundo

Povos oprimidos, depois de cinco séculos, assumiram os seus destinos

Mas, não há parto, que não seja doloroso, só suavizado pela alegria de um novo ser

 Cortar o cordão umbilical, velho de séculos, foi matar muito jovem, foi muita carne para canhão

Foram treze anos de guerra, de atrocidades sem nome, por pura insanidade

Cortar um cordão umbilical com catanas, granadas, balas, minas, e no céu, para além dos aviões, helicópteros com canhões

Mães sem filhos, mulheres sem maridos, namoradas sem namorados, pais sem filhos, filhos sem pais

Quão difícil é criar e educar uma criança, fará uma nação!

Mas, há sonhadores, que acham, que depois do sangrento parto, ainda podíamos impor as nossas leis

Pura ilusão, depois de armas na mão, ninguém aceitaria essa decisão

Os que beneficiaram da opressão achavam-se no direito de saírem da contenda, sem nenhum beliscão  

De um lado e doutro pagámos muito cara a separação, que era inevitável

Que, só uma parte não queria, mas que todo o mundo exigia, incluindo o Papa, que já tinha recebido os dirigentes dos movimentos, que lutavam pela independência

Podíamos ter aprendido, com os que já tinha feito a descolonização, mas, não! Diziam-nos que eramos diferentes, que podíamos oprimir os outros povos, durante mais séculos, eternamente!

Há quem queira diminuir este acontecimento, comparando-o ao 25 de Novembro

Mas não há comparação, porque o 25 de Abril teve repercussões mundiais

Mais meia dúzia de novas nações, em dois continentes, muitos milhões de corações

Que vibraram de alegria, mesmo que um país não se crie, num dia

Muito obrigado a todos os que contribuíram, em especial aos Capitães, para um inesquecível dia.

 

José Silva Costa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:12

Maquilhagem

por cheia, em 15.03.18

Maquilhagem

 

 

Aquele ótimo negócio, que o Primeiro-Ministro disse que tinha pena que a ideia não tivesse sido dele, continua a dar que falar

Consistia em enterrar, no Montepio Geral, duzentos milhões de euros da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Como a opinião pública e a oposição se levantaram contra, por o dinheiro se destinar a ajudar os mais pobres, não deveria ser utilizado para tapar buracos numa associação

Agora, veem dizer que a Santa Casa vai participar com uma quantia simbólica. Quanto?

Como os Bancos não podem falir, à que maquilhar as contas!

Assim, a Associação Mutualista Montepio Geral, em vez de um prejuízo de duzentos e vinte e um milhões, deu um lucro de quinhentos e oitenta e sete milhões e meio!

Beneficiou de um crédito fiscal de oitocentos e oito milhões e seiscentos mil euros

Segundo Sr. Ministro das Finanças está tudo de acordo com a lei!

Uma lei do anterior Governo, que este não revogou, porque dá muito jeito para tapar buracos

Como é que um bom negócio, ficou sem investidores?

Depois de, um dia, o Presidente da República e o Governador do Banco de Portugal terem dito, que investir no BES era seguro. E, no dia seguinte o Banco faliu, já ninguém acredita em ótimos negócios, quando se trata de Bancos falidos!

 

José Silva Costa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:10


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D