Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Amor & guerra (20)

por cheia, em 07.05.21

Amor & guerra (20)

Para os pais da Miquelina foi um grande choque, saberem que o futuro genro tinha uma perna amputada, mas nunca o demonstraram à filha. Sempre com palavras animadoras foram-lhe dizendo que podia muito bem fazer uma vida normal e que poderiam ser muito felizes os três

Ficaram animados quando a filha lhes disse que os antigos patrões lhe prometeram que arranjavam um emprego para o Carlos. Regozijaram-se por haver pessoas tão boas

Passaram a viver em função da filha e do neto. Queriam aproveitar a estarem com eles o máximo de tem possível. Sabiam que quando fossem para Lisboa, raramente os veriam

Estava a começar uma época em que os pais só conviviam com os filhos, enquanto não eram autónomos, depois mal os viam, porque iam para as grandes cidades, ou para o estrangeiro

O fim da segunda guerra mundial veio impor um novo ritmo, com a Europa destruída, foi preciso muita mão-de-obra, para a reconstruir. Por isso é que os países fechavam os olhos à emigração clandestina, às desumanas condições em que os portugueses trabalhavam e viviam, nos países para onde fugiam, a salto

Portugal ficou sem a sua juventude, os que não estavam na guerra, estavam no estrangeiro Mas, os governantes, também nada faziam para estancar essa sangria, porque as divisas, canalizadas para o país, eram preciosas para continuarem a alimentar a guerra em Angola, na Guiné e em Moçambique

 

Em Angola, nalgumas cidades, a euforia continuava, a grande quantidade de jovens europeus, fazia com que os negócios florissem, que a vida social ganhasse um novo brilho, os grandes eventos continuavam de-vento-em-popa, como acontecia com o grande prémio de automobilismo: ” as seis horas de Nova Lisboa”

A Bárbara nuca mais pensou em ir para a Metrópole. Quase todos os dias, ela e o Firmino eram convidados para festas, onde se exibia a bela vida de quem não lhe falta nada, nem tem mais nada para fazer, onde o clima convida ao prazer

 

Continuavam a viver: “Naquele ingano d` alma ledo e cego 

                                          Que a fortuna não deixa durar muito….” (1,2)

Em Lisboa, O general António de Spínola, publica o seu livro

: “ Portugal E O Futuro”, onde expõe as suas ideias para a solução da guerra, nas colónias, dando a entender que tínhamos de procurar outras opções.

 

 

     (1) Lusíadas, de Luís Vaz de Camões, canto III, estância 120

(2) Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, Acto primeiro, Cena 1

Continua.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:56

Acabou

por cheia, em 26.02.20

25/02/20

O Carnaval acabou

Vamos descansar

Amanhã temos de ir trabalhar

Foram dias de euforia

Descansámos da monotonia

Fizemos um hino à alegria

Foi só um dia!

Mas foi o suficiente para desanuviar

Brincar ao Carnaval, com os miúdos

Ou vê-los brincar

Ajuda-nos a amar

A com eles contracenar

A nossa cientista, prestes a fazer dez anos

Estava muito compenetrada na sua ciência

Bata branca cheia de fórmulas químicas

Com uma peruca hilariante

Só falava de Albert Einstein

É para isto que serve o Carnaval

Para darmos asas a todas as nossas fantasias

No Carnaval, podemos ser tudo, por um dia

É por isso que é miopia

Os políticos não terem a alegria

Para declararem o Carnaval como feriado nacional

Porque há uma tradição secular

No nosso País

De, neste dia, tudo dizer

Porque ninguém leva a mal.

José Silva Costa

 

     

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:18


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D