Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Casamentos!

por cheia, em 13.06.19

Santo António

Santo António, por Lisboa venerado

Por Pádua e Lisboa disputado

É grande o seu legado

Celebrar o Amor, é o seu fado

Todos os anos, tão empenhado

Em cumprir o apostolado

Levar homens e mulheres aos altares, e dizerem:

“Aceito casar contigo e estarei, nos bons e maus momentos, ao teu lado”

Um dia, sempre, recordado

A Sé de Lisboa já não tem memória de quantos rostos, nos dias 13 de Junho, por ela, passaram

Para os casamentos de santo António

Sempre com promessas de amor, que nem sempre resistiram ao tempo

A vida a dois exige muito amor, compreensão, tolerância

Mas, a relação entre a mulher e o homem é que dá origem à mais bela flor: a criança

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:50

Faz de conta

por cheia, em 15.12.18

Faz de conta

Começaram as férias escolares do Natal

Vamos brincar ao faz de conta

Uma brincadeira muito apropriada

Para fazermos com as crianças

Principalmente quando nos obrigam a comer

Aquelas comidas invisíveis, que elas confecionam

Com a ajuda das fadas, em que só vemos o prato, garfo e colher

Mas que fazemos de conta, que nunca comemos melhor comer

Faz de conta que ninguém morre por comer demais ou de menos

Faz de conta que ninguém dorme na rua, porque todos temos direito a um lar

Faz de conta que Natal é todos os dias, e não um dia

Faz de conta que o texto, sobre banqueiros e políticos corruptos, foi publicado

Faz de conta que todas as guerras acabaram, para poder dormir descansado

Faz de conta que as imagens do Iémen, que já vimos em tanto outro lado, são um fantasiado

Faz de conta que o meu blog foi publicitado

Faz de conta que vivemos no mundo das fadas, um mundo onde não há impossíveis e tudo é perfeito, sem refugiados, esfomeados, deserdados

Desejo-vos um feliz Natal, mas não de faz conta, real.

 

José Silva Costa

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:21

Supremos interesses

por cheia, em 23.11.17

O negócio das crianças institucionalizadas

 

Mil euros por cabeça!

Quantas mais melhor, para que enriqueça

O círculo vicioso, que ninguém quer ver

Instituições públicas de proteção das crianças

Presididas, pelos mesmo que Presidem ou fazem parte

Das administrações das instituições, que acolhem as crianças

Que foram arrancadas ( para não dizer roubadas) aos pais

Por que é que ninguém quer ver?

Porque são pessoas importantes, acima de quaisquer suspeitas

Aquelas que enchem a boca, quando pronunciam: “os superiores interesses da criança”

Que, também são os seus superiores interesses de enriquecimento

Terá isto, alguma coisa a ver com a enorme quantidade de crianças institucionalizadas?

Com a dificuldade de adotar as crianças?

Ora, se essas instituições são geridas como sociedades anónimas!

Por cada criança adotada são menos mil euros na mesada

Quem é que acredita nestas instituições?

Não há fiscalização nem justiça!

Para que uma mãe tenha reavido os filhos

Foi preciso que o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos o ordenasse!

Não há vergonha, nem clemencia, só corrupção

Por que é que este assunto nunca incendiou as redes sociais?

Como aconteceu com o jantar no Panteão

Coisa de somenos importância: as vidas de crianças e país!

 

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:04


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D