Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

socieadeperfeita


Quarta-feira, 19.09.18

A nossa caminhada

O tempo

Empurrados pelo tempo

Caminhamos de mãos dadas

Por estradas com portas fechadas

À espera de encontrarmos as nossas almofadas

Para, enfim, descansarmos de tantas esperanças afogadas

De demasiadas promessas, sempre, adiadas e goradas

Cansados, exaustos das caminhadas, à procura das portas anunciadas

Mas, que teimam em continuar, cada vez, mais serradas

Deitemo-nos ao luar, sem leira nem beira, nas nossas almofadas imaginadas

Agarrados ao amor, que nos uniu, nos dias e horas desesperadas

Quando acordarmos subiremos com as nossas asas todas as escadas

Para ficarmos bem juntinhos, lá bem no alto, nos braços das nuvens estreladas.

 

José Silva Costa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por cheia às 22:50

Terça-feira, 09.01.18

Criança!

Quando nasce uma criança:

É o Natal a chorar

É o presépio a cantar

É uma Estrela no altar

É o Mundo que avança

É a Natureza que dança

É a esperança que nasce

É o amor que renasce

É o amanhecer de um sorriso

É o florir de um grito

É uma flor sem idade

É um presente à humanidade

É o futuro, é a alegria

É um raio de luz

É a maior magia.

 

 

 

 

José Silva Costa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por cheia às 22:24

Sexta-feira, 18.08.17

Ventos cruzados

Vento cruzado

 

O vento está zangado

Tudo é contestado

Decapitam-se os heróis do passado

Nada está assegurado

Por todo o lado

O perigo está montado

Onde poderemos descansar do peso do tempo andado?

Não há mais, uma esplanada de café

Um banco de jardim onde possamos, por momentos

Pousar as canseiras do dia, dos anos

Para partilharmos com os amigos

A alegria de viver, que outros não nos venham entristecer!

Que pena, não saibam saborear o que de melhor há: conviver!

Mesmo que, para muitos, a vida seja muito dura

Ninguém a deve interromper

Não pedimos para nascer

Tudo, devemos fazer, para a manter

Quanta alegria, ver os filhos, netos, bisnetos a aparecer!

Todos têm um pouco de nós

Vão-nos embalar, no nosso entardecer

Mas, o Mundo está muito magoado

E, tem toda a razão

Muitos dos seus filhos não têm pão

Sinto-me culpado

Por meio mundo esfomeado

Por viver num luxo exagerado

Ser incapaz de contribuir

Para um equilíbrio, sustentado.

 

 

 

José Silva Costa

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por cheia às 18:33


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Posts mais comentados