Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quingentésimo ano (121)

por cheia, em 30.04.24

Eu vivia de lágrimas isento,
num engano tão doce e deleitoso
que, em que outro amante fosse mais ditoso,
não valiam mil glórias um tormento.

Vendo-me possuir tal pensamento,
de nenhüa riqueza era envejoso;
vivia bem, de nada receoso,
com doce amor e doce sentimento.

Cobiçosa, a Fortuna me tirou
deste meu tão contente e alegre estado,
e passou-se este bem, que nunca fora;

em troco do qual bem só me deixou
lembranças, que me matam cada hora,
trazendo-me à memória o bem passado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:50

Quingentésimo ano (120)

por cheia, em 29.04.24

Este amor, que vos tenho limpo e puro,
De pensamento vil nunca tocado,
Em minha tenra idade começado,
Tê-lo dentro nesta alma só procuro.

D'haver nelle mudança estou seguro,
Sem temer nenhum caso, ou duro fado,
Nem o supremo bem, ou baixo estado,
Nem o tempo presente, nem futuro.

A bonina e a flor asinha passa;
Tudo por terra o inverno e estio deita;
Só para meu amor he sempre Maio.

Mas ver-vos para mim, Senhora, escassa,
E qu'essa ingratidão tudo me engeita,
Traz este meu amor sempre em desmaio.

 

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:50

Quingentésimo ano (119)

por cheia, em 28.04.24

Está-se a Primavera trasladando
Em vossa vista deleitosa e honesta;
Nas bellas faces, e na boca e testa,
Cecens, rosas, e cravos debuxando.

De sorte, vosso gesto matizando,
Natura quanto póde manifesta,
Que o monte, o campo, o rio, e a floresta,
Se estão de vós, Senhora, namorando.

Se agora não quereis que quem vos ama
Possa colher o fructo destas flores,
Perderão toda a graça os vossos olhos.

Porque pouco aproveita, linda Dama,
Que semeasse o Amor em vós amores,
Se vossa condição produze abrolhos.

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:20

Quingentésimo ano (118)

por cheia, em 27.04.24

Está o lascivo e doce passarinho
Com o biquinho as pennas ordenando;
O verso sem medida, alegre e brando,
Despedindo no rustico raminho.

O cruel caçador, que do caminho
Se vem callado e manso desviando,
Com prompta vista a setta endireitando,
Lhe dá no Estygio Lago eterno ninho.

Desta arte o coração, que livre andava,
(Postoque ja de longe destinado)
Onde menos temia, foi ferido.

Porque o frecheiro cego me esperava,
Para que me tomasse descuidado,
Em vossos claros olhos escondido.

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:20

2 Governos!

por cheia, em 26.04.24

2 Governos!

por cheia, em 25.04.24                          Reedição
 

2 Governos!

25 de abril de 2024

50 Anos!

Corrupção!

Foram precisos 50 anos de democracia, para que a corrupção provocasse a interrupção de duas legislaturas, fazendo com que 2 Governos caíssem: O Governo da República e o Governo da Região Autónoma da Madeira

Cada vez que uma legislatura não é cumprida, o país sofre graves prejuízos. Mas, estas são, ainda, mais graves, porque temos um PRR para executar, cujo prazo termina a 31/12/2026

Este PRR tem contrapartidas, que têm de ser aprovadas no Parlamento. Como, com eleições, certas leis não são populares, não foram aprovadas, o que faz com que tenhamos 713 milhões de euros, parados em Bruxelas

Assim, enquanto os nossos parceiros se preparam, para o futuro, nós marcamos passo: é o nosso fado

Durante todos estes anos, os políticos tentaram esconder a corrupção, sempre que são confrontados com irregularidades, dizem que estão de consciência tranquila.  

Menac foi “desenhado para não funcionar”

Em declarações à Antena 1, João Paulo Batalha, da Associação Cívica Transparência e Integridade, diz que a culpa é da própria lei que criou o mecanismo e que foi desenhada para não funcionar.

“A inoperância do Mecanismo Nacional Anticorrupção foi desenha na própria lei que o criou. Esta obrigação de ter de recrutar noutras áreas da administração pública – para além de levantar este problema de os órgãos onde as pessoas estão poderem não as deixar sair – levanta outro problema que é saber se na administração pública há pessoas ‘apetrechadas’ nestas áreas – e na maior parte dos casos não temos”, aponta.

João Paulo Batalha acusou o poder político de nunca ter estado interessado em combater a verdadeiramente corrupção, tendo criado o Menac, apenas, para mostrar serviço.

Não é um defeito, é o feitio do organismo, foi assim que ele foi desenhado e responde a uma prioridade política que é a de demonstrar serviço, criando novos organismos, novas leis, mas depois não apetrechando minimamente as instituições que ficam responsáveis por fazer cumprir essas leis”, teceu. (ZAP)

 

 

Para responder aos que nos querem enganar com as escolhas, numa sondagem, sobre os atrasos nas cirurgias, oitenta por cento responderam que preferem esperar para serem operados no Serviço Nacional de Saúde, em vez de utilizarem os cheques, para irem aos privados

Não precisamos de baixa de impostos, cujo os valores, por serem tão pequenos, não aquecem nem arrefecem, o que precisamos é de melhores ordenados e pensões, de serviços públicos, eficientes, para todos.

Os Liberais querem baixar os impostos, para acabarem com o Estado Social, previligiando o individualismo, em vez da solidariedade, reduzir o investimento nos serviços públicos, para entregar o melhor negócio da  atualidade: a saúde, aos privados, e isso fez com que Rui Rocha não tivesse chegado a acordo com Montenegro.  

Viva Abril!

José Silva Costa

 

 
 

 

 

publicado às 07:50

 
 
 
 

7 comentários

Imagem de perfil

De Vagueando a 25.04.2024 às 07:59

 
Acredito que maioritariamente os politicos são honestos. Mas também acredito que a pressão à volta dos mesmos é enorme para satisfazer negociatas e que é impossível fugir a essa pressão. Quanto aos dois governos eu diria que não há lei che chegue para acabar com a falta de ética. É que um governo caiu porque se envolveu (num estranho comunicado) um primeiro ministro que ainda não foi constituido arguido nem ouvido pela justiça e o segundo caiu porque o chefe de governo foi constituido arguido.
E o mais curioso é que Miguel Albuquerque foi reeeleito como presidente do PSD nessal qualidade e se for a votos vai ser ganhar as eleiçoes como arguido para formar novo governo.
Nestas condições nada a fazer sobre a corrupção, o que o povo quer é mesmo manter activa a corrupção.
 
Imagem de perfil

De cheia a 25.04.2024 às 08:11

 
Tem razão! Se não quisessem manter ativa a corrupção, não votavam em políticos, que estão a contas com a justiça e noutros, que já cumpriram prisão por corrupção.

Para mim, a corrupção tem contribuído para o nosso atraso.
 
Imagem de perfil

De Maria João Brito de Sousa a 25.04.2024 às 11:15

 
Viva Abril e viva o Estado Social! Não abriremos mão do SNS!

Abraço, Cheia
 
Imagem de perfil

De cheia a 25.04.2024 às 11:25

 
Bom dia da Liberdade, Maria João!
Bem nos querem enganar, com as escolhas, onde não há escolhas. Hoje, todos comercializam cartões de saúde, a nova galinha dos ovos de ouro.
Mas, a sondagem foi uma bofetada, com luva branca.

Viva Abril!
Um Abraço.
 
Imagem de perfil

De Maria João Brito de Sousa a 25.04.2024 às 11:29

 
Outro abraço, Cheia!

Viva Abril 
 
Imagem de perfil

De Di a 25.04.2024 às 22:01

 
Muito obrigada pela partilha 
 
Imagem de perfil

De cheia a 25.04.2024 às 22:23

 
Noite tranquila!
 

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

 

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



    1.  
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2023
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2022
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2021
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2020
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2019
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2018
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2017
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2016
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2015
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
    1. D
    2. 2014
    3. J
 
    1. F
 
    1. M
 
    1. A
 
    1. M
 
    1. J
 
    1. J
 
    1. A
 
    1. S
 
    1. O
 
    1. N
 
  1. D

Tags

  •  




 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:55

Quingentésimo ano (117)

por cheia, em 26.04.24

Esfôrço grande, igual ao pensamento,
Pensamentos em obras divulgados,
E não em peito timido encerrados,
E desfeitos despois em chuva e vento;

Ánimo da cobiça baixa isento,
Digno por isto só de altos estados,
Fero açoute dos nunca bem domados
Povos do Malabar sanguinolento;

Gentileza de membros corporaes
Ornados de pudica continencia,
Obra por certo da celeste altura:

Estas virtudes raras e outras mais,
Dignas todas da Homerica eloquencia,
Jazem debaixo desta sepultura.

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

Quingentésimo ano (116)

por cheia, em 25.04.24

Enquanto Febo os montes acendia
do Céu com luminosa claridade,
por evitar do ócio a castidade,
na caça o tempo Délia dispendia.

Vénus, que então de furto descendia,
por cativar de Anquises a vontade,
vendo Diana em tanta honestidade,
quase zombando dela, lhe dizia:

«Tu vais com tuas redes na espessura
os fugitivos cervos enredando;
mas as minhas enredam o sentido.»

«Milhor é – respondia a deusa pura -
nas redes leves cervos ir tomando
que tomar-te a ti nelas teu marido.»

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:51

2 Governos!

por cheia, em 25.04.24

2 Governos!

25 de abril de 2024

50 Anos!

Corrupção!

Foram precisos 50 anos de democracia, para que a corrupção provocasse a interrupção de duas legislaturas, fazendo com que 2 Governos caíssem: O Governo da República e o Governo da Região Autónoma da Madeira

Cada vez que uma legislatura não é cumprida, o país sofre graves prejuízos. Mas, estas são, ainda, mais graves, porque temos um PRR para executar, cujo prazo termina a 31/12/2026

Este PRR tem contrapartidas, que têm de ser aprovadas no Parlamento. Como, com eleições, certas leis não são populares, não foram aprovadas, o que faz com que tenhamos 713 milhões de euros, parados em Bruxelas

Assim, enquanto os nossos parceiros se preparam, para o futuro, nós marcamos passo: é o nosso fado

Durante todos estes anos, os políticos tentaram esconder a corrupção, sempre que são confrontados com irregularidades, dizem que estão de consciência tranquila.  

Menac foi “desenhado para não funcionar”

Em declarações à Antena 1, João Paulo Batalha, da Associação Cívica Transparência e Integridade, diz que a culpa é da própria lei que criou o mecanismo e que foi desenhada para não funcionar.

“A inoperância do Mecanismo Nacional Anticorrupção foi desenha na própria lei que o criou. Esta obrigação de ter de recrutar noutras áreas da administração pública – para além de levantar este problema de os órgãos onde as pessoas estão poderem não as deixar sair – levanta outro problema que é saber se na administração pública há pessoas ‘apetrechadas’ nestas áreas – e na maior parte dos casos não temos”, aponta.

João Paulo Batalha acusou o poder político de nunca ter estado interessado em combater a verdadeiramente corrupção, tendo criado o Menac, apenas, para mostrar serviço.

Não é um defeito, é o feitio do organismo, foi assim que ele foi desenhado e responde a uma prioridade política que é a de demonstrar serviço, criando novos organismos, novas leis, mas depois não apetrechando minimamente as instituições que ficam responsáveis por fazer cumprir essas leis”, teceu. (ZAP)

 

 

Para responder aos que nos querem enganar com as escolhas, numa sondagem, sobre os atrasos nas cirurgias, oitenta por cento responderam que preferem esperar para serem operados no Serviço Nacional de Saúde, em vez de utilizarem os cheques, para irem aos privados

Não precisamos de baixa de impostos, cujo os valores, por serem tão pequenos, não aquecem nem arrefecem, o que precisamos é de melhores ordenados e pensões, de serviços públicos, eficientes, para todos.

Os Liberais querem baixar os impostos, para acabarem com o Estado Social, previligiando o individualismo, em vez da solidariedade, reduzir o investimento nos serviços públicos, para entregar o melhor negócio da  atualidade: a saúde, aos privados, e isso fez com que Rui Rocha não tivesse chegado a acordo com Montenegro.  

Viva Abril!

José Silva Costa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:50

Quingentésimo ano (115)

por cheia, em 24.04.24

En una selva al despuntar del dia
estava Endemion triste y lloroso,
buelto al rayo del sol que, presuroso,
por la falda de un monte decendia.

Mirando al turbador de su alegria,
contrario de su bien y su reposo,
tras un suspiro y otro congoxoso,
razones semejantes le dizia:

«Luz clara, para mi la más escura
que, con este passeo apresurado,
mi Sol con tu tiniebla escureciste:

si allá pueden moverte en essa altura
las quexas de un Pastor enamorado,
no tardes en bolver adó saliste».

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:50

Quingentésimo ano (114)

por cheia, em 23.04.24

Em um batel que com doce meneio
o aurífero Tejo dividia,
vi belas damas ou, melhor diria,
belas estrelas, e um Sol no meio.

As delicadas filhas de Nereio,
com mil cordas de doce harmonia,
iam amarrando a bela companhia
que, se eu não erro, por honrá-las veio.

Ó fermosas Nereidas que, cantando,
lograis aquela vista tão serena
que a vida, em tantos males, quer trazer-me:

dizei-lhe que olhe que se vai passando
o curto tempo e, a tão longa pena,
o espírito é pronto, a carne enferma.

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

Pág. 1/4



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D