Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O paraíso

por cheia, em 11.04.18

O paraíso

 

Quem ouvir os nossos Governantes fica com a sensação de que vivemos num paraíso!

Somos campeões de tudo e de nada: da simpatia, da gastronomia, do sol e da lua

Todos nos querem conhecer, visitar, fotografar, admirar e comprar

As boas empresas já foram todas, agora vai o imobiliário, e nós todos contentes

Sempre de sorrisos, bons modos, um povo sorridente, a mostrar os dentes

Mas, quando chegar o reverso da medalha, vamos amargar a lua-de-mel, como sempre

As seguradoras e os bancos, tudo em mãos estrangeiras, vão aproveitar a boa onda, para venderem o imobiliário, que têm em Lisboa

Os inquilinos, alguns com idade bem avançada, não sabem o que fazer aos últimos dias de vida

O problema da habitação em Lisboa, não é de ontem, nem de hoje, tem séculos

Rendas congeladas, pelos senhorios recusadas, eram na Caixa Geral De Depósitos depositadas

Rendas descongeladas, aumentos incompatíveis, inquilinos despejados

Nenhum Governo conseguiu, ainda, os tais equilíbrios desejados

Um remendo, para tapar o sol com a peneira: a Autarquia vai criar 1.100 fogos, a custos controlados

Tudo, porque para o ano vai haver eleições, e os Partidos já têm as promessas em ações

Não de esclarecimento, mas de encobrimento de tudo o que eles não querem que os eleitores saibam:

Que os Partidos devem milhões, das outras campanhas eleitorais, que ainda não conseguiram pagar

Que este ano tentaram, com uma nova lei de financiamento dos Partidos, nos sacar

Mas não foi tão longe quanto queriam, porque Belém resolveu vetar

Mas, como há mais marés que marinheiros, vão esperar, que São Bento e Belém, consigam, um novo imposto, criar

Depois, cá estaremos para tudo, com língua de palmo, pagar

Aqueles que gritam, e com razão, que as estradas estão esburacadas, que os hospitais estão falidos e entupidos, que os rios estão poluídos, que as escolas continuam com o amianto, que o dinheiro está cativo no Banco, são os mesmo que aceitam agitar bandeirinhas, nas campanhas eleitorais, que são bons comensais em almoços e jantares, que gostam de festas com fogos de-artifício mortais, que vão em excursões, para comporem comícios eleitorais, a pensar que é tudo grátis, ignorando que tudo vão, com juros de mora, pagar!

  José Silva Costa

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:10


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D