Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

socieadeperfeita



Quinta-feira, 30.04.15

Primeiro de Maio

Primeiro de Maio

A confraternização universal dos trabalhadores

Um dia que nos lembra as duras lutas de quem labuta em terra, no ar ou no mar, com mil dores

Tantos séculos de escravidão, de fome e violação, sem qualquer direito

Cada vez mais, o dia do trabalhador ganha ,novamente, uma atenção especial, porque, depois algumas conquistas de direitos e justiça, há quem queira por tudo em causa

É humano explorar homens, mulheres e crianças em cadeias de produção, sem o mínimo de condições, para que os patrões tenham mais, mais e mais lucros?

Os acionistas são insaciáveis e os capatazes insensíveis

Mesmo que tenhamos tido a sorte de vivermos na Europa, um dos melhores Continentes, não nos podemos alhear do sofrimento de todos os nossos irmãos

Até nós, mal suou a austeridade, nos esquecemos da solidariedade!

Quanto vale a paz, a solidariedade e a fraternidade?

E a África aqui tão perto! Onde adolescentes são raptadas, vendidas, violadas, e sei lá mais o quê, por andarem na escola!

Nem mesmo com as poderosas novas tecnologias, as mentalidades mudam de repente!

Espantado? Não, porque aqui, na Europa, há pouco mais de meio século, ouvi um pai sentenciar a filha, de que não voltaria à escola, por ter reprovado no exame da terceira classe: errou os problemas .Segundo o pai já era uma mulher, tinha doze anos, era indispensável nos trabalhos de casa e do campo. Teve o azar de só ter acesso à escola aos nove anos, quando foi criada a escola, na nossa terra.

Afinal, estamos tão perto e tão longe de África, que todos os dias, os nossos irmãos africanos, nos solicitam ajuda, arriscando a vida, para entrarem no paraíso europeu.

Por todo o Mundo, por todas as religiões, as mulheres foram , e continuam a ser discriminadas.

Mães, esposas, irmãs, namoradas, muita perseverança! Porque a guerra sempre foi e será dura, entre a força e a formosura. Mas o fruto é que perdura.

 

José Silva Costa

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 22:14

Quinta-feira, 30.04.15

...

 exemplo de Mota Soares!                     

Quando, no início desta legislatura, tomou posse como deputado , fez-se transportar na sua mota, chegou à Assembleia da República, pelos seus meios, não necessitando de viaturas do Estado!

E assim tem continuado, mesmo depois de nomeado Ministro da Segurança Social, nunca andou em nenhum carro do Estado!

E o falar aos saltinhos é resultado dos amortecedores da mota, na trepidação do empedrado das ruas, das colinas de Lisboa.

Mas não ficam por aqui os exemplos do Senhor Ministro da Segurança Social: para preenchimento de vagas nos organismos dependentes do seu Ministério, tem tido o cuidado de fazer uma dupla certificação dos concorrentes.

Assim, aos concorrentes aprovados pela Cresap: Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração pública , ele acrescenta a certificação de militante partidário, tendo povoado o País, apenas de militantes do CDS e PSD .

Graças à Cresap a nossa administração pública está renovada e bem entregue a pessoas competentes e selecionadas, sem recurso a emblemas Partidários.

Que ricos exemplos!

 
 
publicado

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 20:08

Segunda-feira, 20.04.15

25 de Abril de 1974

O Império

O 25 de Abril de 1974 veio pôr fim ao último grande império. Quase todos os povos já tinham conseguido a independência, menos os colonizados pelos portugueses.

Salazar não soube ou não pôde ouvir os lideres das colónias, que sabia quem eram, e que mais tarde vieram a desencadear as lutas pela libertação das suas nações: Mondelene, Agostinho Neto, Amílcar Cabral. Se o tivesse feito, talvez a história tivesse tido outro rumo, mas nem ele era pessoa de antecipar o futuro, nem o País estaria, para isso, preparado.

Infelizmente , o destino dos povos depende dos interesses dos donos do Mundo, a cada momento, como aconteceu , quando Portugal e Espanha o dominaram.

Salazar dependia dos militares e dos donos da economia ,que nunca quiseram ver os seus interesses, nas colónias, postos em causa. E o que ele mais queria era encher, de ouro, o Banco de Portugal

Mas os ventos não param, e Portugal ficou de tal maneira isolado, que se viu, nas Nações Unidas, por todos confrontado, com o apoio aos movimentos de independência. Até o Vaticano nos virou as costas, preferindo, e muito bem, apoiar os movimentos de libertação!

Depois de treze anos de guerra, em três frentes: Guiné, Angola e Moçambique, sem fim à vista, e depois de António de Spínola ter publicado o livro “ Portugal e o futuro”, os capitães começaram a conspirar, e em boa hora o regime conseguiram derrubar.

Portugal estava esgotado: já tinha dificuldade em encontrar oficiais para as frentes de batalha.

Nos cursos para sargentos milicianos, nas Caldas da Rainha, em 1968, no fim de cada curso foi pedido, a cada pelotão, por votação secreta, que elegessem o candidato a ascender ao curso de oficiais.

Capitães milicianos, para comandantes de companhia, eram mobilizados civis, alguns com mais de trinta anos, casados, com a vida estruturada, que tinham cumprido o serviço milita obrigatório r, como alferes.

Bocage escreveu “ Camões, grande Camões, quão semelhante

                                     Acho teu fado ao meu, quando os cotejo!

                                     Igual causa nos fez, perdendo o Tejo,

                                     Arrostar co`o sacrílego gigante;

Durante os cinco séculos, em que foste nosso, quantos tivemos de perder o Tejo, e infelizmente, muitos perderam-no, para sempre?

Uma pequena Nação deu à luz sete irmãs!

José Silva Costa

 

 

 

 

 

 

 

 
 
publicado por cheia às 17:45

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 21:52

Domingo, 19.04.15

Tanta gente a morrer

Tanta guerra, tanta intolerância

Tanta fome, tanto desespero

Tanta esperança, tanto medo

Tanta água para um cemitério!

 

Tanta criança inocente

Ao colo de quem ambicionava ser Gente

Tanta aposta num dia diferente

Tanta coragem para seguir em frente!

 

Morrer, por morrer, vale mais correr

Do que ouvir os filhos de fome gemer

Porque parte o coração, só de ver

A tantos sacrifícios, os submeter!

 

Quem é que consegue entender?

O que no Mundo está a acontecer

Quem souber, que o diga

Porque custa muito, ver

Tanta gente a morrer!

 

 

José Silva Costa

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 23:21

Terça-feira, 14.04.15

Não nos podemos deixar embalar

Abril

Em Abril há muitos cravos por florir

Há quem nos queira convencer a empobrecer

Como se isso não fosse morrer!

Já ouviram algum treinador pedir à equipa para perder?

O que alguns políticos querem é: um povo analfabeto, mole, empanturrado de futebol

Que não saiba decifrar as suas manhas, nem as ciladas em que nos querem meter

Competição à custa de menos solidariedade , menos segurança social e mais desigualdade!

Não, não nos podemos deixar embalar. Temos de lutar, dando o exemplo:

Pontualidade, organização e método, mais produção em menos tempo.

Não nos podemos à dependência submeter

Temos de ter uma palavra a dizer

Não podemos continuar a ver: pontes, túneis, autoestradas sem saídas

Que só para encherem os bolsos, a alguns, foram construídas

Nas poucas vezes que somos chamados a decidir, não podemos ficar em casa a dormir!

Porque eles não se importam de ser eleitos por meia-dúzia de votos !

Se acharem que podemos esperar sentados!

Então, continuem, às assembleias de voto, faltar.

 

 

José Silva Costa

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 06:52

Quinta-feira, 09.04.15

A construção da Europa

A construção da Europa!

Os que andam a deitar foguetes e a abrir garrafas de champanhe , devido às dificuldades do Governo Grego, deviam antes   apoia-lo, por ter a coragem de enfrentar o marasmo em que a CE tem vivido, nos últimos anos.

Deixámos de ter uma união, para termos um protetorado, com a Alemanha a por e dispor.

Quanto a mim, os eleitores gregos utilizaram o seu último recurso, elegendo quem pensam poder alterar alguma coisa.

Fartos de Governos, que vão a Bruxelas receber ordens, cujo o essencial : é cortar despesas e aumentar impostos, sem olhar a quem, custe o que custar.

Este Governo diz querer alargar a base dos que pagam impostos, o que é muito bom, tal como entre nós, que foi preciso criar o sorteio da fatura da sorte, porque ainda há muito, por cá, quem não queira pedir fatura com o número de contribuinte, porque os heróis são os que conseguem fugir ao fisco!

Ainda não compreenderam que quem não paga impostos, está a prejudicar os que cumprem com as suas obrigações?

Quem não se lembra das pressões, de todos os órgãos da CE, para que o Governo Espanhol pedisse um resgate, nos moldes a que obrigaram Grécia, Irlanda e Portugal, a pedi-lo?

Mas o Governo Espanhol não se deixou intimidar, foi contornando o problema até conseguir o dinheiro, sem ter de ir a Berlim, ajoelhar-se!

É preciso ajustar as administrações e poderes soberanos da União: A Comissão e o Parlamento Europeu. Não faz qualquer sentido a correria entre Bruxelas e Estrasburgo, pelos parlamentares! Não são só os cidadãos e empresas que precisam de ajustamento, os gastos da “Corte de Bruxelas” também devem sofrer ajustamentos!

Felizmente, já há quem defenda que o pagamento de impostos deve ser efetuado onde são gerados, nada de andarem a saltar de Nação em Nação, para pagarem menos!

Com uma moeda única, porque não impostos únicos? Mas isso não querem, para poderem fazer arranjinhos com as grandes empresas , como fez o atual Presidente da Comissão, quando era primeiro-ministro do seu País!

 

 

José Silva Costa

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cheia às 09:24


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930